Na hora de viajar

O que muda para os turistas se a Catalunha se separar da Espanha?

Rodrigo Rocha

Bio: É jornalista curioso, canceriano apaixonado e nordestino bruto virado no raio! Aqui, ele fala tudo o que a gente precisa saber agorinha pra viajar melhor.

O que muda para os turistas se a Catalunha se separar da Espanha?

Rodrigo Rocha Publicado em 14 de outubro de 2017

Vez ou outra emergem em alguns lugares do mundo – inclusive aqui no Brasil – tentativas de separar regiões de países e torná-las independentes. Atualmente, a mais importante e comentada é a possível separação da Catalunha – comunidade autônoma onde fica Barcelona, um dos destinos mais visitados por turistas de todo o mundo – do restante da Espanha.

As consequências desta movimentação já estão sendo sentidas, especialmente na economia. Segundo a BBC, pelo menos 540 empresas mudaram suas sedes da Catalunha para outras cidades espanholas desde o referendo de independência, realizado em 1º de outubro sem o reconhecimento do governo espanhol e da União Europeia.

A clima de tensão se agravou quando o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, declarou a independência da comunidade autônoma e, em seguida, suspendeu seus efeitos com a justificativa de dialogar com o governo da Espanha.

Mas como isso afeta o turismo?

Por enquanto, os protestos que continuam acontecendo geram alguns contratempos como interrupções no trânsito e outras operações diárias em locais super visitados como Barcelona, mas a cidade continua a receber turistas.

Na semana do referendo, algumas operadoras de cruzeiros e companhias aéreas como a American Airlines chegaram a dar aos seus passageiros a opção de remarcar suas viagens.

Todavia, os impactos de uma declaração de independência podem incluir mudanças mais profundas, especialmente se ela não for reconhecida pela Espanha e a União Europeia. O novo país poderá ficar, por exemplo, fora da zona do euro e ser obrigado a mudar de moeda.

Outra consequência possível é a necessidade de solicitar vistos separados para entrar na região. A Comissão Europeia, o poder Executivo da União Europeia, havia declarado que, se a Catalunha se separasse da Espanha, estaria fora da UE.

Cansados dos turistas?

No final de agosto, falei aqui sobre a crescente onda de protestos contra o que parte da população de Barcelona considera ‘exploração turística excessiva’. Com 1,6 milhão de habitantes, a capital Barcelona é um dos destinos mais importantes do mundo e, somente em 2016, recebeu cerca de 32 milhões de turistas.

Apesar de o turismo ser uma das atividades mais lucrativas da região e representar mais de 10% do PIB da Catalunha, alguns grupos consideram que o modelo atual da atividade afasta os moradores e não se reverte em uma distribuição justa de todo o dinheiro arrecadado. Você pode ler o texto aqui.

Ainda é difícil saber que efeitos em longo prazo o movimento separatista atual terá sobre os viajantes que pretendem ir à Catalunha. Por enquanto, é possível manter planos de viagem para lá, caso os tenha, mas sempre com muita atenção ao desenrolar dos fatos.

 

Rodrigo Rocha
rodrigo@agenteviaja.net
Instagram: @agenteviaja
Twitter: @agenteviaja
Curta facebook.com/AGViaja


Mais posts da coluna Na hora de viajar


Booking.com