Quadro a quadro

Conheça Hebron, a cidade bíblica que forçou os EUA a saírem da Unesco

Paulo Lannes

Bio: Jornalista e estudante de Teoria, Crítica e História da Arte na UnB, viaja o mundo atrás de obras-primas e boas histórias. Aos sábados, ele dará dicas sobre museus e revelará curiosidades desse fascinante mundo das artes.

Conheça Hebron, a cidade bíblica que forçou os EUA a saírem da Unesco

Paulo Lannes Publicado em 19 de outubro de 2017

Parece brincadeira, mas uma questão de patrimonialização de um cidade foi considerada um dos pivôs para a saída dos Estados Unidos da Unesco, entidade cultural da ONU.

Acontece que Hebron, uma cidade histórica citada na Bíblia, fica em um território disputado tanto por Israel como Palestina. Ainda que Israel esteja ocupando a cidade desde 1967, a Unesco reconheceu a Cidade Velha e o Túmulo dos Patriarcas como um patrimônio da humanidade da Palestina.

A cidade fica em território disputado pela Palestina e por Israel. Foto: Divulgação

A cidade fica em território disputado pela Palestina e por Israel. Foto: Divulgação

O caso levantou uma gigantesca polêmica no governo israelense. Tzipi Hotovely, vice-ministra de Relações Exteriores do país chegou a afirmar que tal decisão era um “emblema de vergonha para a Unesco, que de tempos em tempos prefere ficar ao lado da mentira”.

Ao justificar sua saída da Unesco, os EUA afirmaram que a “decisão não foi tomada facilmente, e reflete as preocupações dos Estados Unidos com crescentes contas atrasadas na Unesco, a necessidade de reformas fundamentais na organização e o contínuo viés anti-Israel na Unesco”.

Citada na Bíblia, a cidade ainda mantém tradições milenares. Foto: Divulgação

Citada na Bíblia, a cidade ainda mantém tradições milenares. Foto: Divulgação

A decisão da Unesco foi tomada em uma votação secreta entre 12 países-membros da entidade. Ainda que a região esteja sob domínio israelense, boa parte da população de Hebron é majoritariamente árabe. Os palestinos são membros plenos desde 2011, momento em que os EUA retiraram o apoio financeiro ao órgão.

A cidade é considerada sagrada tanto para judeus como para cristãos e muçulmanos. Acredita-se que o Túmulo dos Patriarcas guarda os restos mortais de Abraão e Sara, Isaac e Rebeca, Jacó e Lea.

 

Fiquei com vontade de conhecer a cidade, e você?

 

Paulo Lannes
paulo@agenteviaja.net
Instagram: @agenteviaja
Twitter: @agenteviaja
Curta facebook.com/AGViaja


Mais posts da coluna Quadro a quadro


Booking.com