Na hora de viajar

Espanhóis protestam contra o turismo ‘excessivo’ em Barcelona

Rodrigo Rocha

Bio: É jornalista curioso, canceriano apaixonado e nordestino bruto virado no raio! Aqui, ele fala tudo o que a gente precisa saber agorinha pra viajar melhor.

Espanhóis protestam contra o turismo ‘excessivo’ em Barcelona

Rodrigo Rocha Publicado em 21 de agosto de 2017

Se você planeja viajar para Barcelona, pense duas vezes. O clima por lá não anda muito receptivo para os turistas. Isso porque os habitantes da cidade espanhola (e da região da Catalunha) têm se mostrado cada vez mais cansados da quantidade de estrangeiros por lá e da maneira como a exploração do turismo é feita na cidade e, mais recentemente, por causa do atentado reivindicado pelo Estado Islâmico e que deixou 14 mortos.

Com 1,6 milhão de habitantes, Barcelona é um dos destinos turísticos mais importantes do mundo e, somente em 2016, recebeu aproximadamente 32 milhões de turistas. O aumento da quantidade de residências alugadas pelo sistema Airbnb tem provocado, segundo os moradores insatisfeitos, a extinção da comunidade local. Os bairros se transformam, para eles, em zonas de ‘aldeamento turístico’.

Há pouco mais de uma semana, cerca de 100 moradores da cidade ocuparam a praia adjacente ao bairro de Barceloneta, um dos mais antigos e também dos mais turísticos, para protestar contra o que consideram a usurpação dos espaços e dos recursos da cidade por parte de um número cada vez maior de turistas.

 

Protesto na praia de Barceloneta / Foto: APG/Getty Images

Protesto na praia de Barceloneta / Foto: APG/Getty Images

 

Todavia, o turismo é uma das atividades mais lucrativas da região. Ele representa mais de 10% do PIB da Catalunha e foi importante para diminuir o desemprego na Espanha.

Para o grupo Arran, principal combatente do turismo em massa, os lucros dessa atividade não estariam sendo distribuídos de forma justa. De acordo com eles, os empregados nas áreas da hotelaria e restauração recebem salários muito baixos, enquanto a pressão imobiliária está expulsando as pessoas dos seus bairros.

Frases como “E agora querem as nossas casas”, “O turismo mata os bairros”, “Barceloneta não está à venda” e “Não queremos os turistas nos nossos prédios. Isto não é um resort” se destacam em meio aos protestos.

 

Foto: AFP/Getty Images

Foto: AFP/Getty Images

 

Da mesma forma como aconteceu em Veneza (Itália), Santorini (Grécia) e Dubrovnik (Croácia), as autoridades espanholas já estudam medidas para reduzir o número de cruzeiros e a oferta de alojamentos nas maiores cidades do país. Em janeiro deste ano, Barcelona aprovou medidas para limitar o número de camas em hotéis e travar a liberação de licenças de apartamentos para turistas.

De uma coisa, temos certeza: neste momento, o que precisamos é, sem dúvidas, de mais amor e menos xenofobia!

 

Rodrigo Rocha
rodrigo@agenteviaja.net
Instagram: @agenteviaja
Twitter: @agenteviaja
Curta facebook.com/AGViaja


Mais posts da coluna Na hora de viajar


Booking.com